Campanha contra influenza em MS se estende para indígenas, professores e presos e trabalhadores da saúde

No ano anterior, o estado atingiu 92,68% da meta, com 573.562 pessoas vacinadas. Para 2019, intenção é vacinar ao menos 90% dos grupos elegíveis para a vacinação.


Por G1

A ampliação da cobertura vacinal, que abrange povos indígenas, idosos, trabalhadores da área da saúde, professores de escolas públicas e privadas, pessoas com condições clínicas especiais, jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, além de funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade, começa nesta segunda-feira (22). Até então, conforme determinação do Ministério da Saúde, apenas gestantes e crianças com idade entre seis meses e seis anos estavam recebendo a vacina contra a influenza.

No ano anterior, o estado atingiu 92,68% da meta, com 573.562 pessoas vacinadas. No Brasil, no mesmo período, foram vacinados 90,87% do público alvo. Para 2019, a intenção é vacinar ao menos 90% dos grupos elegíveis para a vacinação, atingindo, principalmente, os grupos mais vulneráveis.

Ainda conforme o Ministério da Saúde, as campanhas têm contribuído na redução da mortalidade em indivíduos portadores de doenças crônicas, tais como doença cardiovascular, acidente vascular cerebral (AVC), doenças renais, diabetes, pneumonias e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), dentre outras. 

Influenza

Popularmente conhecida como gripe, a Influenza é uma doença respiratória infecciosa, de origem viral, que pode levar ao agravamento e até ao óbito, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção.


COMENTÁRIOS


  • Pax Primavera10
  • Dinâmica e solução tecnologias9