• Câmara Municipal2
  • Dinamica3

Minotauro tinha base de operações com sistema de câmeras para vigiar a cidade

Conseguia saber onde a polícia estava através das câmeras


Por Midiamax

Depois da ofensiva ao grupo do narcotraficante Sérgio Quintiliano de Arruda, o ‘Minotauro’, que acabou na prisão de 14 integrantes e na apreensão de duas toneladas de cocaína, a polícia paraguaia descobriu agora que Sérgio tinha uma base de operações de onde controlava a cidade de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã.

A base de operações do narcotraficante que foi preso, em Santa Catarina, era parecida com a base da polícia nacional, com câmeras de alta definição que permitia ampliar as imagens e ver possíveis vítimas do grupo, além de saber onde os policiais estariam.

Membros da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) com quem ‘Minotauro’ tinha relação controlavam toda a cidade e planejam as execuções, já que sabiam o momento em que a polícia chegaria aos lugares.

Segundo o site Ponta Porã Informa, a promotora Alicia Sapriza agora investiga qual a empresa que teria instalado o sistema de monitoramento ao narcotraficante. Na base foram presas 15 pessoas, que permaneceram caladas.

A polícia, através das câmeras apreendidas, analisa as imagens para tentar esclarecer assassinatos ocorridos na fronteira. Ainda foram apreendidos carregadores de pistola, celulares, 25 veículos entre caminhões, carros e motos. Além disso, seis pacotes de notas de 10 reais, documentos e uma réplica de um tipo de metralhadora.


COMENTÁRIOS


  • Dinâmica e solução tecnologias9
  • Pax Primavera10