• Câmara Municipal2
  • Dinamica3

Justiça eleitoral proíbe aulão sobre fascismo em DCE da UFGD

Acadêmicos classificaram o ato como ‘censura’


Por Midiamax

Uma aula nas dependências da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) na manhã desta quinta-feira (25) foi interrompida por decisão judicial, no momento em que alunos discutiam o fascismo.

O tema da aula, organizada pelo DCE (Diretório Central dos Estudantes) da UFGD, era ‘Esmagar o Fascismo’. Acadêmicos usavam a palavra para comentar a conjuntura política do país, quando foram surpreendidos com um mandato judicial suspendendo a atividade.

O DCE divulgou uma nota de repúdio, e destacou que o ato representa ‘censura à liberdade de manifestação e reunião de pessoas’. O Diretório ainda disse que agentes da Polícia Federal teriam abordado acadêmicos, coletado nomes e fotografias.

A decisão de suspender a aula pública com o tema ‘Esmagar o Fascismo’ foi expedida pelo juiz eleitoral Rubens Witzel Filho, da 18ª Zona Eleitoral. A reportagem não conseguiu contato com o magistrado, nem no Cartório, tampouco no Fórum, até a publicação da matéria.

A assessoria de imprensa do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral) informou ao Jornal Midiamax que a intimação cumprida nesta manhã “originou-se de uma denúncia, e o juiz entendeu que o evento tinha cunho político sendo realizado em órgão público, o que é proibido pela legislação”, informa a Justiça eleitoral.

A assessoria da Universidade informou apenas que aula era uma iniciativa do DCE, que utilizou espaço do campus para discutir o tema, com participação dos acadêmicos.

Na semana passada, um painel artístico criado durante uma Campanha contra Assédios por acadêmicos de universidades douradenses foi alvo de ataques. Vândalos desenharam uma suástica (símbolo do nazismo) em um cartaz que fazia alusão à luta de mulheres contra o câncer de mama. A UFGD emitiu nota repudiando os ataques. (Colaborou Aliny Mary Dias)


COMENTÁRIOS


  • Dinâmica e solução tecnologias9
  • Pax Primavera10