• Câmara Municipal2
  • Dinamica3

Reinaldo lidera disputa ao governo e pode vencer no 1° turno, aponta pesquisa DATAmax

Levantamento mostra que tucano também lidera índice de rejeição



O governador Reinaldo Azambuja (PSDB), que busca a reeleição, está tecnicamente empatado com a soma das intenções de voto dos demais candidatos a governador de Mato Grosso do Sul e pode vencer já no primeiro turno, aponta pesquisa DATAmax, realizada entre os dias 27 e 29 de setembro.

Na amostra estimulada, onde são apresentados os nomes dos candidatos ao entrevistado, Reinaldo Azambuja lidera com 37,5%, seguido por juiz Odilon (PDT), com 23,9%; Junior Mochi (MDB), com 6,2%; Humberto Amaducci (PT), com 5,4%;  Marcelo Bluma (PV), com 2% e João Alfredo (PSOL), com 1,3%. Brancos e nulos somam 11,2%, enquanto 12,6% dos entrevistados não sabem ou não responderam.

Considerando a margem de erro, Reinaldo teria entre 34,5% a 40,5%, Odilon oscila entre 20,9% a 26,9%, Mochi fica entre 3,2% a 9,2%, enquanto Amaducci teria entre 2,4% a 8,4%. Marcelo Bluma poderia chegar a 5% e João Alfredo a 4,3%. Brancos e nulos oscilam de 8,2% a 14,2%, e os eleitores que não souberam ou não quiseram responder ficam de 9,6% a 15,6%.

Votos Válidos

Considerando a projeção de votos válidos, que exclui brancos, nulos e indecisos, Reinaldo tem 49,1%, seguido pelo candidato do PDT, Juiz Odilon, que tem 31,4%.

Considerando a margem de erro de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos, Reinaldo Azambuja oscila entre 46,1% a 52,1%. Juiz Odilon oscila entre 28,4% a 34,4%.

Em terceiro está o deputado estadual Junior Mochi, do MDB, que tem 8,1% ; Humberto Amaducci, do PT, aparece com 7,1%;  Marcelo Bluma (PV) registra 2,6%  e João Alfredo Danieze, do PSOL, 1,6%..

Levando em conta a margem de erro há empate técnico entre três candidatos, uma vez que o emedebista teria entre 5,1% a 11,1%, o petista oscila entre  4,1% e 10,1%, enquanto o candidato do PV poderia ter de 0% até 5,6%. Ainda dentro da margem de erro dos votos válidos, Danieze, que pode oscilar de 0% a 4,6% empata tecnicamente com Bluma e Amaducci.

Espontânea

Na pesquisa espontânea, quando o entrevistador não apresenta nome dos candidatos, Azambuja lidera com 31,3%, seguido por Odilon, com 18,8%; Mochi, com 5,1%;  Amaducci, com 4,4%;  Bluma, com 1,1% e João Alfredo, com 0,4%.

Considerando a margem de erro, o tucano teria entre 28,3% a 34,3%.Odilon oscila entre 15,8% a 21,8%. Em terceiro, Mochi fica entre 2,1% a 8,1%, empatado tecnicamente com Amaducci, que teria entre 1,4% a 7,4%. Os três últimos empatam dentro da margem de erros, já que Bluma pode ter de 0% a 4,1, também empatado com o petista, e João Alfredo ficaria entre 0% a 3,4%.

Brancos e nulo somam 10,2%, oscilação entre 7,2 a 13,2%, enquanto 28,8% não souberam responder, patamar que pode chegar a 31,8%, ou cair a 25,8%.

Rejeição

Na rejeição apurada pelo Instituto DATAmax, Azambuja tem o maior percentual com 19,1%; Amaducci é o segundo, com 12,5%; Juiz Odilon tem 10% de rejeição na intenção de voto, Marcelo Bluma, 9,1%; e João Alfredo e Mochi aparecem empatados com 5,6%. O número de eleitores que afirma que não vota em nenhum dos seis é de 5,8%. Já 12,9% não rejeitam nenhum, poderia votar em todos, e 19,4% não souberam ou não quiseram responder.

Registro

A Pesquisa foi realizada ente os dias 27, 28 e 29 de setembro de 2018. No levantamento, com índice de confiança de 95% e margem de erros 3 pontos percentuais, para mais ou para menos, foram realizadas 1.040 entrevistas e está registrada no TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral) e TSE (Tribunal Superior Eleitoral), sob os números MS-02838 e BR-04533/2018


COMENTÁRIOS


  • Pax Primavera10
  • Dinâmica e solução tecnologias9