• Câmara Municipal2
  • Dinamica3

Lojas fecham e centenas vão às ruas em apoio aos caminhoneiros em Dourados


Por Dourados News

Foto: Dourados News

Muitos comerciantes atenderam ao “chamado” de apoio aos protestos dos caminhoneiros em todo o país e em Dourados, baixaram as portas de lojas no centro. Por volta das 15h, representantes da categoria se uniram na Praça Antonio João e posteriormente seguiram em passeata pela avenida Marcelino Pires acompanhado de vários populares. 

A ‘convocação’ ao comércio ocorreu por entidades que representam a categoria no município. A presidente da Aced (Associação Comercial e Empresarial de Dourados, Elizabeth Salomão havia informado que o chamado era para que os proprietários de lojas abaixassem as portas dos estabelecimentos às 15h e mantivessem assim por 1h ou duas horas. 

O site Dourados News constatou que a maioria dos lojistas da área central se uniram a causa e muitos mantiveram os estabelecimentos fechados até próximo às 17h. Para a avenida, os manifestantes levaram bandeiras, faixas, apitos e ‘gritos de guerra’ por um país melhor. 

Na principal avenida da cidade, carros se uniam ao ato nesta tarde (28), com “buzinaço”. Apesar de a ação não ter sido acompanhada por órgãos de segurança, nenhum imprevisto foi registrado. 

Benedito Ribeiro, gerente da filial de uma loja de roupas, calçados e acessórios em Dourados, contou que aderiu ao movimento e baixou as portas da unidade por volta de uma hora, com pausa de cerca de 40 funcionários. Ele afirma que o povo brasileiro ‘está acordando’ e vive sufocado por conta do atual cenário econômico. 

“Altas tributações refletem já tem tempo no nosso cotidiano, não só para o caminhoneiro, mas para os empresários, para as donas de casa, para a indústria, enfim e chegou o momento que a situação ficou insustentável e vemos que o povo está saturado e lutando por melhorias. Não poderia deixar de apoiar, a situação tem que melhorar, nossos impostos tem que ser melhor utilizados, a população precisa contar com melhor poder de compra, estamos juntos nessa luta, nossos sindicatos também e vamos aderir a outras ações se for preciso”, disse.  

Para o gerente de uma loja de eletrodomésticos, Uziel Correia, o ato iniciado pela classe dos caminhoneiros está “fazendo a diferença no país”. Ele afirma que uma melhor gestão e corte de regalias do ‘alto’ são necessários com urgência para melhor qualidade de vida da população. 

“O poder legislativo, o Executivo e o Judiciário precisam se fortalecer e realmente olhar para o povo brasileiro. Uma categoria muitas vezes esquecida por todos levantou a situação de preço abusivo que surte um impacto para todos e esse é um dos pontos de luta, outros estão sendo apontados com a mobilização e acredito que o ato vai impactar muito positivamente, por isso nosso apoio”, citou. 


Entre as instituições que fizeram o “chamado” de apoio dos comerciantes, está a CDL (Câmara de Dirigente Lojistas). O presidente Giovani Dal Molin falou sobre a situação ao site Dourados News

“Toda a população paga altas taxas tributárias, o custo da corrupção é muito alto para o país hoje, quem paga é a população carente, é o trabalhador. Nós como entidade temos a obrigação de apoiar os caminhoneiros, sofremos muito com cargas tributárias altas, nossos colaboradores também pagam muito caro por isso, a população em geral paga caro, é preciso mudança urgente”, aponta. 

Em Dourados, ações de protesto continuam nesta segunda-feira (28). A situação de bloqueios dos caminhoneiros chegou a ocasionar o desabastecimento de gás, combustível e de produtos alimentícios. 

A semana se iniciou com caminhões sendo escoltados da capital à Dourados para abastecimento de itens em falta. O acompanhamento será feito pela PRF (Polícia Rodoviária Federal), conforme mostrado pelo Dourados News. 



  • Pax Primavera10
  • Dinâmica e solução tecnologias9