• Câmara Municipal2
  • Dinamica3

Preso assaltante que matou pedreiro com tesourada na Mato Grosso


Por Midiamax

A Polícia Militar prendeu, na tarde desta segunda-feira (7), o assaltante suspeito de matar a tesouradas o pedreiro Antônio Marcos Rodrigues de Souza, de  34 anos, durante um roubo ocorrido pela manhã na Avenida Mato Grosso, em Campo Grande. O homem assaltava uma adolescente quando Antônio interveio. Os dois lutaram e o suspeito atingiu a vítima com golpes de tesoura no pescoço. Antônio morreu no local, na frente do seu pai. 

O suspeito foi preso por policiais do 10º Batalhão da Polícia Militar no Jardim das Mansões após denúncia anônima. De acordo com o Tenente da PM, Thiago Mônaco Marques, o suspeito foi identificado pela polícia como Alexandre Moreira de Moraes, de 23 anos. Ele pediu ajuda para uma pessoa conhecida sem contar sobre o crime. A pessoa o levou até uma casa que abriga moradores de rua, no bairro Jardim das Mansões.

Conforme o tenente, a família que o ajudou teria descoberto depois que ele era suspeito do crime, o que o levou a fugir da residência. Após a denúncia de moradores, o homem foi preso no interior de outra casa do bairro. Durante as buscas, foi utilizado um helicóptero da PM.

Conforme o tenente, o suspeito não apresentou resistência quando foi abordado pela equipe policial. Ele teria chegado a confessar que era o autor do crime. Na delegacia, segundo Marques, o suspeito informou que a arma utilizada no momento do crime era uma faca, contrariando a versão de testemunhas de que era uma tesoura.

Depois de preso, o suspeito foi levado para o local do crime, para apontar para a PM lugar exato onde ele dispensou uma faca que também poderia ter sido usada no crime. A arma não foi encontrada. Na sequência, foi encaminhado para a delegacia de polícia.

De acordo com a polícia civil, o mesmo homem já tem passagens pela polícia por furto, um, registrado no dia 5 de abril deste ano, e uma segunda ocorrência, no dia 27 de setembro de 2017. O suspeito deve responder por homicídio qualificado pela morte do pedreiro de 34 anos. Até a audiência de custódia do caso, ele deve ficar preso na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro.

Segundo a polícia, a identidade do suspeito foi descoberta porque ele foi um dos 108 moradores de rua que foram levados para a delegacia e fichados. Segundo um policial, ele foi reconhecido por uma testemunha em uma das fotos feitas no início de abril.

Após o crime, o suspeito conseguiu fugir, mas chegou a ser perseguido por uma viatura da Polícia Militar que passava pela avenida no momento em que o crime ocorria. Durante a perseguição, a viatura da PM se envolveu em um acidente e o suspeito conseguiu escapar. 

Depois, o pai da adolescente assaltada foi até o local e também perseguiu o ladrão, mas ele disse estar armado e ameaçou o homem antes de fugir novamente.

Uma força-tarefa composta por policiais do setor de Inteligência do 1º Batalhão da Polícia Militar, motopatrulhamento, GOE (Grupo de Operações Especiais) da Polícia Civil e a patrulha diária fizeram um cerco na Esplanada Ferroviária para prender o ladrão, mas ele não foi localizado.

Imagens de câmera de segurança mostram o ladrão fugindo pela avenida. Nas imagens é possível ver que, na fuga, o bandido é perseguido por Antônio. Mesmo ferido, o pedreiro alcançou o ladrão, que conseguiu se desvencilhar e fugir deixando para trás um pé do chinelo que usava.

Vida no crime

Aos 23 anos, o assaltante coleciona sete passagens por furto. Segundo a Polícia Civil, ele foi apreendido duas vezes pela polícia quando ainda era menor de idade. As outras cinco passagens aconteceram depois que ele completou 18 anos.

Comoção
A tia de Antônio, Denise Faustino, de 53 anos, revoltada falou ao Jornal Midiamaxque se pudesse fazia Justiça com as próprias mãos. “O gesto de nobreza dele (Antônio) hoje seria se ele estivesse vivo”, disse.



  • Pax Primavera10
  • Dinâmica e solução tecnologias9