• Câmara Municipal2
  • Dinamica3

Ministério Público e Polícia vetam treinos abertos de Corinthians e Palmeiras


Por FOLHAPRESS

Polícia Militar e o Ministério Público são contra a realização de treinos abertos para as torcidas de Corinthians e Palmeiras neste sábado (7) de manhã. O promotor Paulo Castilho entrou em contato com as diretorias dos dois clubes para encontrar uma solução.​

No início da tarde desta segunda (2), o Corinthians divulgou que vai abrir o Itaquerão para os torcedores neste sábado, às 10 horas, quando os jogadores vão fazer o último treino antes da segunda partida da final do Paulista, no domingo (8), às 16 horas, no Allianz Parque.

Minutos depois, o Palmeiras também avisou que vai liberar os portões de seu estádio para a torcida comparecer no mesmo dia pela manhã (o horário não foi definido).

"A Polícia Militar se manifestou contrária à realização dos dois treinos abertos para os torcedores no mesmo dia. Analisamos que existe a possibilidade de confronto. O Palmeiras já pediu policiamento para acompanhar o treino. O Corinthians, não", disse Major Alexandre Vilariço, da PM.

O promotor Paulo Castilho, do Ministério Público de São Paulo, vai entrar em contato com os presidentes Andrés Sanchez (Corinthians) e Maurício Galliote (Palmeiras) para tentar chegar a um acordo. A ideia é que um dos clubes antecipe o treino aberto aos torcedores para sexta (6).

"Vou pedir ajuda para o Reinaldo [Carneiro Bastos, presidente da Federação Paulista]. Vamos tentar minimizar isso. É um risco desnecessário. Tivemos 44 mil pessoas no primeiro jogo da final sem nenhum problema. Não vamos correr o risco de manchar o campeonato antes da decisão", disse Castilho.

A iniciativa não é inédita no Corinthians. Depois de abrir os portões dos treinos para sua torcida em três ocasiões ao longo de 2017, o Corinthians voltou a apostar na estratégia em fevereiro, antes de clássico contra o próprio Palmeiras pela primeira fase do Paulista. Na ocasião, o time alvinegro venceu em casa por 2 a 0.

Em novembro do ano passado, antes de ser campeão, o clube levou cerca de 32 mil pessoas ao Itaquerão para um treinamento aberto.

"As duas torcidas deverão ir em grande número. Existe o deslocamento dessas torcidas", completa o Major Vilariço.

Os dois estádios são servidos pela linha vermelha do metrô e a preocupação é o encontro de torcedores e possíveis cenas de violência.

Procurada pela reportagem, a assessoria do metrô de São Paulo ainda não se posicionou sobre o assunto.



  • Pax Primavera10
  • Dinâmica e solução tecnologias9