Suspeito de matar ex-mulher na frente da filha é encontrado morto em SP

Ele morreu com tiro na cabeça e suspeita é de tenha cometido suicídio


Por Correio do Estado

Suspeito estava dentro de veículo em estrada de propriedade rural - Foto: André Barbosa / JP News

Suspeito de matar a ex-mulher a tiros na frente da filha, o ex-gerente de uma fábrica de celulose em Três Lagoas, Renato Bastos Ottoni, 65 anos, foi encontrado morto com um tiro na cabeça, na tarde de hoje, detro de um carro no município de Castilho, em São Paulo. Suspeita é que ele tenha cometido suícidio.

Segundo informações do site JP News, dois ciclistas que passaram pela estrada, em área rural, encontraram o veículo, perceberam que havia um corpo dentro e acionaram a Polícia Civil.

Delegada que investiga o caso, Letícia Móbis, da Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM) já havia acionado as forças de segurança de São Paulo e do Rio de Janeiro para auxiliar na procura, pois havia suspeita de que ele pudesse fugir para estes estados.

A delegada fou até a propriedade e confirmou que o corpo é do ex-gerente. Familiares da vítima de feminícidio também reconheceram o suspeito.

Principal hipótese da polícia é de que Ottoni foi até a propriedade rural logo depois de matar a ex-mulher e cometeu suicídio. No entanto, caso está sob investigação.

O CRIME

Halley estava na cozinha da cozinha da casa onde vivia com as filhas, no bairro Santa Júlia, quando Ottoni chegou ao local e atirou três vezes contra ela. Vítima foi atinfgida nas costa, nuca e pescoço, na frente da filha adolescente. 

Casal estava separado desde setembro e o ex-gerente não aceitava o fim do relacionamento. Crime teria sido motivado por ciúmes. 

Segundo informou a delegada, ele pediu demissão da indústria de celulose no ano passado e não é descartada a hipótese de que tenha se desligado da empresa porque estava premeditando o assassinato, pois, a época, eles já estavam se desentendendo.



  • Pax Primavera102
  • Dinâmica e solução tecnologias103