• Câmara Municipal2
  • Dinamica3

PF estima que 25 mil pessoas foram vítimas de quadrilha


Por Dourados News

Várias peças de joias foram encontradas. Foto: Divulgação PF

A Polícia Federal estime que pelo menos 25 mil pessoas de vários Estados tenham sido vítimas da rede de golpistas alvo da Operação Ouro de Ofir, desencadeada na manhã desta terça-feira (21) em conjunto com a Receita. No Mato Grosso do Sul, mandados foram cumpridos em Campo Grande e Terenos. Também ocorreram ações em Goiânia (GO) e Brasília (DF).

De acordo com os delegados federais Cleo Mazzoti e Guilherme Guimarães Farias, em Mato Grosso do Sul os golpes seriam aplicados principalmente pela Company Consultoria Empresarial, empresa que foi alvo de busca e apreensão nesta manhã.

O dono Celso Éder Gonzaga de Araújo foi preso, conforme informa o site Campo Grande News.

“Todos os Estados têm vítimas. Parece-nos que atuação destes criminosos intensificaram muito nos últimos dois anos, acho que porque viram que dá certo”, comentou Guilherme Farias em coletiva desta manhã reproduzida pelo site.

O delegado afirma que quando a investigação começou em Mato Grosso do Sul acreditava-se que de 10 a 15 mil pessoas teriam investido dinheiro nos supostos negócios relacionados a exploração de uma mina de outro. “Era uma ideia humilde”, comentou o delegado.

O esquema

O grupo atuava como instituição financeira clandestina, coptando valores normalmente acima de R$ 1 mil de investidores, com a promessa de recebimentos milionários. Os investidores eram induzidos a depositar quantias para ter uma lucratividade de mais de 1.000%.

De acordo com a PF , o grupo dizia ao investidor alvo haver uma mina de ouro já explorada e que os valores referentes às comissões de venda estavam sendo repratiados, vendidos e até mesmo doados a terceiros.

O grupo também prometia quantias milionárias com liberação de uma antiga Letra do Tesouro Nacional – LTN. Tudo isso mediante pagamento prévio.



  • Pax Primavera10
  • Dinâmica e solução tecnologias9