• Câmara Municipal2
  • Dinamica3

A Política Lagunense Aquece os Motores e Mostra Suas Armas

Pesquisa, desfiliações e revoadas para outras legendas marcaram as últimas semanas na política de nossa cidade


Da redação

Imagem Ilustrada

Opinião 

A política de Laguna Carapã começa a ficar quente, já existem movimentações mais concretas no sentido das composições para as Eleições de 2016. O tabuleiro de xadrez que estava parado, começou a estabelecer as jogadas, daqui para frente o “Rei” se movimenta e as demais peças então prontas para contra-atacar ou apoiar.

Várias situações foram compondo o jogo do tabuleiro. Tudo leva a crer, pelas conversas de bastidores, que Itamar Bilibio, na medida em que sua gestão avançava, foi se aproximando exageradamente de forças políticas que não o haviam ajudado na eleição passada, porém o que se mostra por agora é que errou a mão e se desgastou até mesmo com a base aliada na Câmara de Vereadores.

Nos últimos meses, este cenário ficou mais evidente. Apesar dos discursos de todos os vereadores ser de que são a favor do prefeito, desde que os projetos sejam para o bem comum, os desencontros se acentuaram. O prefeito não tem mais a maioria dos vereadores, dois deles, do próprio PMDB ao que se sabe vão bater asas, um deles confirmadíssimo. Dos demais partidos da base aliada, há revoada para o PSDB, também muito certo e os demais estão movimentando seus partidos, certamente, todos buscando pressionar Itamar Bilibio a definir o futuro das composições que pensa em fazer para a reeleição.

As armas estão em ação e atitudes de todos os lados mostram que o jogo começou. Apenas recordando o leitor dos últimos fatos. No ano passado, Bilibio em diversas situações encostou os vereadores na parede acusando-os de que barravam os projetos da prefeitura em questões que favoreceriam a população ou alegava a não realização de obras e ações por causa da crise e falta de dinheiro, questionado pelos vereadores que insistem em dizer que Laguna nunca arrecadou tanto.

No início do ano legislativo, o prefeito que havia perdido alguns embates na Câmara, ao ponto de ter apenas, em alguns momentos, o apoio real de 03 vereadores, não compareceu à sessão de abertura dos trabalhos, mesmo figurando como nobre convidado. Logo em seguida, os vereadores oficializaram uma CEI – Comissão Especial de Inquérito, justificado pela omissão do Governo Municipal em fornecer respostas de requerimentos enviados, solicitando informações sobre aplicação de recursos emergenciais, federais e estaduais.

Para piorar a situação, alguns dias depois, surgiu a polêmica em torno do Concurso Público de Laguna Carapã, os vereadores, apresentaram uma lista prévia de nomes pelos quais a municipalidade teria muito interesse em aprová-los, junto ao Ministério Público e, segundo eles, mais de 94% destes nomes constavam da lista de aprovação. A resposta veio, imediatamente, pelos órgãos oficiais de comunicação do Governo Municipal, não apenas criticando os vereadores, mas também questionando que condições teriam para julgar a competência dos atuais integrantes de cargos na atual gestão.

Em nenhum momento transpareceu, em toda esta conjuntura, que o prefeito Itamar Bilibio esteja acuado ou temeroso, ao contrário, em alguns aspectos, o meio político o tem considerado muito arrogante, porque nem com tudo isso acontecendo ao seu redor, se demoveu a tentativas de reconstrução da base aliada, aparentemente, a sua forma de gerir o município continua igualzinho. A questão é saber se isso é fruto de uma confiança plena da reeleição ou se está esperando pelos resultados das pesquisas para decidir o que fazer.

O fato é que a chapa está quente, daqui para frente cada atitude sua pode fritá-lo mais um pouco ou render-lhe tempos de refrigério para definir o seu futuro político. Vale lembrar, nesta história, que os “lobos-maus” da administração Itamar ainda não estão explicitamente no jogo, por enquanto são os “peões” que comandam as estratégias cercando as torres.



  • Dinâmica e solução tecnologias9
  • Pax Primavera10